Carros Com 8 Valvulas e Mais Seguro do Que de 16 Valvulas?

Ouço falar que o motor de 16 válvulas nao é tao confiável como o de oito. Qual o motivo dessa informaçao?

Segundo alguns mecânicos, o motor 16V é muito problemático, dá muita oficina. Se é verdade, por que isso acontece?

Um Gol 16V 2001. Muita gente fala que nao é bom carro, melhor seria de 8V. Gostaria de saber as vantagens e desvantagens dessas válvulas e se tem alguma diferença no uso delas na estrada ou cidade dizem que na estrada o carro usa todas as válvulas e na cidade só metade delas.


16 e 8 Valvulas O preconceito contra os motores de quatro válvulas por cilindro, ou 16 no caso de quatro cilindros, vem mesmo ganhando espaço, como se nota pelas mensagens dos leitores. Todavia, é um preconceito injustificado, pois o fato de haver duas válvulas de admissao e duas de escapamento por cilindro, em vez de apenas uma para cada funçao, nada acarreta na durabilidade e na confiabilidade do motor. Tanto que os fabricantes japoneses, como Honda e Toyota, usam 16 válvulas na maioria de seus carros nacionais desde a década passada, sem que haja notícia de qualquer problema crônico ou de baixa vida útil para esses motores. Pelo contrário, desfrutam de elevada reputaçao. Até diesel tem quatro válvulas por cilindro hoje, caso do Hilux.

Pode-se supor que os mecânicos nao gostem muito dos motores 16V por um só motivo: a aparente maior dificuldade de manutençao. Ao trocar a correia dentada de acionamento dos comandos de válvulas, por exemplo, é preciso sincronizar duas árvores em vez de uma só. Sincronizar significa colocar o comando na posiçao correta em relaçao ao virabrequim, sem o que o motor funciona mal e pode até se danificar. Isso explica o medo que muitos mecânicos tem em efetuar serviços nos motores 16V, sobretudo os de duplo comando. Esse "medo" do duplo comando é antigo e remonta ao tempo do FNM 2000 JK, de 1960, mesmo só tendo duas válvulas por cilindro. Sao raros os modelos de 16 válvulas com comando único, caso do 1,0 da Renault (que foi usado também no Peugeot 206) e dos 1,5, 1,6, 1,7 e 1,8 dos Hondas Fit e Civic. Esses já nao assustam tanto os mecânicos.

Parte do preconceito foi criado com os motores 1,6-litro 16V do Corsa, que deram muitos problemas de esticador da correia dentada, erroneamente associados as 16 válvulas. O rolamento do esticador quebrava-se, a correia perdia tensao, os comandos perdiam sincronizaçao e ocorria atropelamento de válvulas pelos pistoes, cujo reparo nao era barato.

Esclarecendo a leitora, as 16 válvulas estao em atividade por todo o tempo, no caso do Gol e da quase totalidade dos modelos (uma exceçao é o Fit 1,5, em que uma das duas de admissao de cada cilindro mantém-se imóvel em certas condiçoes de uso). A noçao errônea de que as válvulas a mais só funcionariam na estrada tem, provavelmente, origem no melhor desempenho do motor 16V em altas rotaçoes, mais comuns nesse tipo de uso. No trânsito urbano lento, em que as baixas rotaçoes predominam, os motores de oito e 16 válvulas tem desempenho próximo, o que pode dar a impressao de que as válvulas adicionais nao tenham utilidade.