Honda confirma SUV baseado no próximo Fit para 2014.

Novo Honda SUV CR 2013

 

O badalado segmento de utilitários-esportivos compactos, onde Ford EcoSport e Nissan Juke atuam, irá ganhar nos próximos anos novos representantes. Além do pequeno Volkswagen Taigun, apresentado pela primeira vez no Salão de São Paulo e que teve sua produção confirmada pelo próprio fabricante alemão, um modelo com apelo fora-de-estrada da japonesa Honda deverá ser lançado em 2014, segundo o CEO da empresa, Takanobu Ito.

De acordo com o executivo asiático, o novo SUV de pequeno porte da Honda irá se basear na próxima geração do monovolume Fit, que servirá de base também para um sedã. “Seria como o irmão mais novo do CR-V”, disse Ito, que também anunciou que o automóvel será mais um produto global da montadora. O novo SUV será um dos modelos que contribuirá para o aumento das vendas da marca no mercado mundial, de 4 milhões de unidades atuais para 7 milhões de carros por ano até 2017.

 

Apesar dessa meta ambiciosa, a Honda não pretende expandir o mercado de alguns de seus atuais automóveis, como o Brio, que teria seu mercado restringido à Índia e ao sudeste da Ásia. Com isso, a nova fábrica brasileira da empresa, anunciada também por Ito, que terá sua produção voltada para veículos de porte compacto, deverá produzir um modelo desenvolvido especialmente para o nosso mercado.

Fiat Siena equipado com rodas aro 17.

Siena Com Rodas Aro 17

 

Marca da Roda: Gallop

Modelo da Roda: Vicenza

Aro: Aro 17

Marca do Pneu: Não informado

Medidas do Pneu: 205/40/17

Método de rebaixamento: Suspensão fixa

Acessórios instalados: Não Informado

Renault Logan deve ganhar uma Minivan em 2012.

Renault Logan Minivan 2012

 

A plataforma B90 é mesmo versátil. Usada no Logan originalmente, ela já deu origem ao Sandero, à picape Logan e ao Logan MPV. Ah, sim, e ainda temos o Duster. Mas para quem pensa que a Dacia chegou no limite agora chega a informação que a família ganhará uma minivan em 2012. Talvez seja uma boa alternativa ao pouco vendido Renault Modus, uma bela minivan, mas que não consegue enfrentar seus rivais europeus. Pelo menos no Brasil a chance de vermos a minivan é minúscula já que a Nissan vende bem a Livina por aqui.

No Brasil, Ford Edge 2011 chega a partir de R$ 122 mil.

Ford Edge 2011 

 

Crossover ganha mais equipamentos e novo visual por R$ 9 mil a menos em menos de um mês, modelo vendeu quatro vezes mais que antecessor. A Ford revelou nesta sexta-feira dia (10) os detalhes da linha 2011 do Edge que desembarca no país cerca de três meses após a estreia nos Estados Unidos e Canadá, país onde é fabricada. O crossover ganhou retoques no visual, novas tecnologias e mais itens de segurança. Apesar das mudanças, o preço da versão de entrada, a SEL, reduziu cerca R$ 8.850 mil. A  Ford diz que ajustou preços e características do modelo ao mercado nacional. Por R$ 122.100 – o modelo anterior começava em R$ 130.950 – o Edge 2011 sai de fábrica com tração integral, rodas de 18 polegadas, seis airbags, ar-condicionado de duas zonas, bancos de couro preto, sensor de ré, banco com ajuste elétrico em 10 posições para o motorista e seis posições para o passageiro, sistema automático de rebatimento dos bancos e CD player/MP3 com entrada auxiliar. Já a versão topo de linha, a Limited, parte de R$ 133.910 e acrescenta ao pacote de série a nova geração do sistema de entretenimento SYNC, abertura e fechamento automático do porta-malas, câmera de ré, sistema de som da Sony, rodas de 20 polegadas, sistema de monitoramento de pontos cegos e tráfego cruzado, sensor de chuva, bancos com memória e acabamento em couro em tom mais claro. O único opcional é o teto solar panorâmico que eleva o preço do modelo para R$ 142.610. Além de mais recheado, o motor V6 3.5 litros traz 20 cavalos extras (289 cv) e a transmissão automática de seis velocidades ganhou a opção de trocas sequenciais, que são feitas por meio de botões na manopla do câmbio. Apesar de mais disposto, a marca afirma que a linha 2011 é 10% mais eficiente com consumo de 10,1 km/l em uso misto.

 

Ford Edge 2011

 

A carroceria também foi atualizada com novos para-choques, para-lama e capô. A grade frontal, ícone de design da fabricante norte-americana, agora invade o para-choque dianteiro e traz os filetes mais espaçados. A traseira conta com um toque cromado, a exemplo do sedã Fusion, e novas lanternas. Já a cabine recebeu melhorias no isolamento acústico e traz um novo painel de instrumentos com uma tela de LCD de 4´2 polegadas. Outra novidade é a chave configurável MyKey que pode limitar a velocidade do carro para 130 km/h, reduzir a capacidade do som para 45% da potência total e não permite desativar o controle de tração, evitando que familiares ou manobristas “abusem” do veículo. A Ford começa a ver resultados no mercado brasileiro com as mudanças no Edge. Na pré-venda, iniciada em meados de novembro, a marca vendeu 210 unidades do novo modelo em menos de um mês. O volume é um quase a metade das 527 unidades que foram comercializadas de janeiro a outubro e quatro vezes maior do que a média mensal de vendas, que é de 52 unidades. Os dados são da Federação nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Vendas de SUVs superam as de sedãs médios no Brasil.

SUV Q7 da Audi

Segundo a Fenabrave, até novembro foram vendidos mais de 182 mil SUVs o aumento da renda, crédito e juros baixos mudam gosto do consumidor. Os chamados sedãs médios sempre foram objetos de desejo entre os consumidores brasileiros que podiam pagar por um carro com mais tecnologia, itens de série e acabamento sofisticado. Por esse motivo, as fabricantes de veículos sempre investiram na qualidade desses produtos, como uma verdadeira vitrine. Porém, neste ano, modelos como Toyota Corolla, Honda Civic e Chevrolet Vectra perderam espaço para concorrentes bem mais robustos: os utilitários esportivos. De acordo com dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), de janeiro a novembro deste ano foram emplacadas 157.366 unidades de sedãs médios. Volume abaixo das 182.975 unidades vendidas de utilitários esportivos ou SUVs. É a primeira vez que modelos como Ford EcoSport, Hyundai Tucson e Mitsubishi Pajero ganham essa “briga”. O volume chega a superar o total de sedãs médios comercializados em todo o ano passado.

 

O que ajudou a mudar o gosto do consumidor e dar um empurrãozinho nas vendas de SUVs foi a combinação de aumento de renda, disponibilidade de crédito e juros mais baixos. Características de um país com economia estável, que aumenta a confiança do consumidor. “Os segmentos competem hoje. Se você for ver, o que mais vai crescer no Brasil nos próximos anos será o de SUVs, mas o segmento de sedãs sempre reinou”, afirma o gerente executivo de planejamento de marketing da Volkswagen do Brasil, Fabrício Biondo. Apesar da tendência, o diferente gosto entre homens e mulheres é o que vai equilibrar esta disputa. “Os dois segmentos hoje, com o crescimento da renda, se combinam. Você tem consumidores que procuram SUVs por conta da versatilidade, da posição alta de dirigir, por isso ela agrada muito as mulheres. E os sedãs agradam mais os homens”, descreve Biondo.

Ducato completa 10 anos de produção no País.

Van Ducato Modelos

 

 O Fiat Ducato está comemorando 10 anos de fabricação no País. Líder do segmento de furgões grandes no mercado brasileiro por oito anos, o Ducato já acumulou nesta primeira década de produção nacional 55 mil unidades emplacadas. De acordo com a fabricante italiana, atualmente, o Ducato possui 36% de participação em seu segmento. Para se ter uma ideia da evolução das vendas do veículo no País, no ano 2000, a participação do furgão era de 6,7%, graças às 1.860 unidades emplacadas no período. A expectativa para este ano é de que o modelo atinja mais de 11 mil exemplares emplacados. Desenvolvido para transporte de passageiros ou de cargas, o Fiat Ducato é oferecido em oito versões – Cargo 7,5 m³, Cargo L 9,0 m³, Combinato (9+1 passageiros), Minibus (15+1 passageiros), Minibus Teto Alto (15+1 passageiros), Multi Teto Alto (específica pra transformação), Maxi Cargo 10 m³ e Maxi Cargo 12 m³.

 

O modelo oferece ainda diversas possibilidades de transformação, podendo ser utilizado para diferentes aplicações, como veículo comercial, executivo, escolar, delegacia móvel, ambulância, unidade de resgate, veículo de frigorífico, transporte de pessoas portadoras de necessidades especiais, entre outras. O Ducato é equipado com o bloco Multijet Economy, apto a entregar 127 cavalos de potência a 3.600 rpm e torque de 30,7 kgfm a 1.800 rpm.