Peugeot lança o 208 a principal versão custa R$ 45.990.

Novo Peugeot 208 Blue Lion  Novo Peugeot 208 Blue Lion 

 

Dia 13 de abril de 2013 é uma data histórica. Pelo menos para a Peugeot do Brasil. Neste dia começam as entregas no país do 208, novo compacto global da marca, lançado menos de um ano atrás na Europa e, por lá, já líder de vendas em seu segmento (denominado “subcompacto”). Entre nós, o modelo tem a missão de emplacar cerca de 2.500 unidades por mês e tornar-se o carro mais vendido da Peugeot local superando inclusive o bem conhecido 207, opção de entrada e “barata”.

 

Novo Peugeot 208 Blue Lion 

O 208 está sendo apresentado à imprensa automotiva nesta semana, em Búzios, litoral do Rio de Janeiro. A fábrica da PSA Peugeot Citroën onde ele é produzido (em conjunto com a nova geração do C3, seu irmão de plataforma) fica em terras fluminenses, mais exatamente em Porto Real. É a única a fazê-lo fora da Europa, onde o 208 tem linhas na França e na Eslováquia.

 

A fabricante divulgou os preços oficiais do 208, válidos de agora (para encomendas) e até o final de abril eles incluem, portanto, a recomposição parcial do IPI prevista para o início do mês. São eles:

 

208 Active 1.5 — R$ 39.990
O pacote básico inclui ar-condicionado, direção com assistência elétrica, airbags frontais, freios com ABS (antitravamento) e REF (repartição de força da frenagem, o mesmo que EBD) e vidros dianteiros elétricos. Há ainda computador de bordo e chave-canivete. As rodas são de aço com calotas e não há faróis de neblina (mas as lanternas têm LEDs).

 

208 Allure 1.5 — R$ 45.990
Esta é a configuração que deve responder por 50% das vendas do modelo, segundo a Peugeot. O pacote inclui as duas assinaturas do 208: teto panorâmico (fixo, de vidro) e central multimídia (áudio, Bluetooth e navegação por GPS) com tela de 7 polegadas, além de retrovisores externos elétricos, luzes de neblina, rodas de liga leve diamantadas de aro 15, couro e comandos no volante e alguns detalhes cromados.

 

208 Griffe 1.6 M/T — R$ 50.690
O motor maior e mais moderno, rodas de aro 16, sensores de chuva, de luz e de auxílio a estacionamento, piloto automático, alarme, vidros elétricos também traseiros (e com antiesmagamento à frente) e o ar-condicionado digital com duas zonas de resfriamento recheiam esta versão e engordam seu preço.

 

208 Griffe 1.6 A/T — R$ 54.690
Inclui transmissão automática de quatro marchas com trocas sequenciais em aletas atrás do volante.

 

O motor de 1,5 litro foi construído a partir do veterano propulsor de 1,4 litro e oito válvulas da PSA, que ainda hoje anima o 207. Ele é bicombustível e entrega 93/89 cavalos de potência a 5.500 rpm e 14,2/13,3 kgfm de torque a 3.000 rpm (etanol/gasolina). Segundo a fabricante, cerca de 80% do torque já estão disponíveis a 2.000 rpm. O câmbio é sempre manual de cinco velocidades. Já o propulsor de 1,6 é o EC5, de 16 válvulas e partida a frio que dispensa o tanquinho de gasolina, presente no hatch médio 308. Ele gera 122/115 cv a 5.800/6.000 rpm, com torque de 16,4/15,5 kgfm a 4.000.

Novo Peugeot 208 é flagrado no interior de SP.

Novo Peugeot 208 2013

 

Sucesso em Genebra e futuro protagonista da Peugeot para o próximo Salão do Automóvel de São Paulo, que acontece entre outubro e novembro deste ano, o 208 começa a dar as caras pelo país. O modelo foi fotografado pela primeira vez em movimento, em rodovia próxima a Indaiatuba, interior de São Paulo.

 

Novo Peugeot 208 2013

 

Parte de um projeto global da PSA Peugeot Citroën, o compacto será fabricado no Brasil, de acordo com o próprio presidente da Peugeot, Frédéric Drouin. Com previsão de início de vendas para o primeiro semestre de 2013, é de se esperar que a unidade fotografada já seja do modelo produzido aqui (o 208 será feito na fábrica de Porto Real, região sul do Rio de Janeiro).

 

O modelo viverá em conjunto com o 207, que será “rebaixado” a uma posição inferior para concorrer diretamente com os populares de entrada. O 208 será o compacto premium da marca, direcionado a disputar mercado com os Fiat Punto e 500, Volkswagen Polo, Ford New Fiesta e Chevrolet Sonic. Na Europa, o modelo possui motores 1.0 e 1.2 de três cilindros e 1.4 de quatro cilindros, todos a gasolina. Por aqui, deverá ser equipado com os motores 1.4 e 1.6 da linha Peugeot atual, além do 1.6 THP (este em uma futura versão GTi, mais requintada, para combater diretamente seu primo Citroën DS3 e outros modelos como Mini One e Audi A1). O sedã 301, feito sobre a mesma plataforma do hatch, pode não ser feito no país. Segundo Drouin, a sede fluminense não teria capacidade suficiente para produzir o modelo. Restaria como opção ao três-volumes ser produzido na fábrica da marca em El Palomar, nos arredores de Buenos Aires.